Aflito Maxaquene joga tudo ou nada diante do vizinho e eterno rival

 

O Moçambola está a apenas dois jogos do fim, mas mais do que a luta pela conquista do título, está em causa a “batalha” pela manutenção. As 15 horas de hoje, os vizinhos e eternos rivais, Desportivo de Maputo e Maxaquene “batem-se”, numa partida de tudo ou nada, onde apenas a vitória interessa aos tricolores para continuarem a sonhar com uma provável manutenção na fina flor do futebol nacional, o Moçambola.

Texto: Arão Nulane

Diante de um Desportivo já confortável, na quinta posição, após arrancar 10 pontos nas últimas quatro jornadas, frutos de três vitórias e um empate, o Maxaquene vai deixar a pele em campo para tentar sair do Estádio Nacional do Zimpeto com uma vitória, de forma a continuar a alimentar esperanças de manutenção.

Mas não augura-se uma tarefa fácil dada a rivalidade épica entre os dois vizinhos, pelo que espera-se um jogo “electrizante”. Pelas redes sociais, há já um repto dos adeptos do Desportivo de Maputo, que prometem fazer vida negra aos tricolores.

Todos os jogos da jornada 29 serão realizados este Domingo, para evitar combinação de resultados. O líder da prova, Costa do Sol, recebe, no seu relvado sintético, o Têxtil de Púnguè, formação beirense que praticamente já foi despromovida para a segunda divisão.

Enquanto o Têxtil de Púnguè joga apenas para cumprir o calendário, os canarinhos tem a missão de ganhar, sob o risco de, em caso de derrota, comprometerem esperanças do título, que está a ser disputado taco a taco com a União Desportiva de Songo (UDS).

A UDS, campeão em título e única equipa ainda com chances de vencer o Moçambola, terá pela frente a equipa do Textáfrica de Chimoio, um grupo que dentro das quatro linhas não facilita os seus adversários, daí que os “Hidroeléctricos” terão que suar as “estopinhas” para saírem vitoriosos.

Liga Desportiva no “calor” do caldeirão de Chiveve

Ainda no prosseguimento dos confrontos desta jornada, o Ferroviário da Beira irá fazer sala à Liga Desportiva de Maputo. Se por um lado as locomotivas de Chiveve já tem a manutenção garantida, a situação dos “muçulmanos” ainda está indefinida.

No Canavial de Xinavane, o Incomáti recebe o Ferroviário de Nacala, enquanto o Ferroviário de Maputo, recebe no Estádio da Machava o já despromovido Baia de Pemba. A jornada prossegue com o ENH de Vilankulo a “digladiar-se” com o Ferroviário de Nampula e o Desportivo de Nacala a fazer frente ao Clube de Chibuto.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content