António Marques terá usado irregularmente mais de 40 milhões de meticais do ATCM

O jurista Rodrigo Rocha, recém-eleito presidente do Automóvel e Touring Clube de Moçambique (ATCM), na última terça-feira, acusa António Marques, anterior presidente da agremiação, de uso irregular de cerca de 40 milhões de meticais, no período entre 2016 e 2017, para fins que não eram para o engrandecimento do desporto motorizado. 

 Texto: Neuton Langa

 Afinal, por detrás de um discurso de quem deixa uma agremiação saudável e de boa saúde, há um uso irregular de cerca de 40 milhões de meticais para fins que não eram para o engrandecimento da modalidade, segundo Rocha. Recorde-se que, em declarações à Imprensa, António Marques disse que deixava o ATCM de boa saúde e recomendável.

Apesar de acusar o seu antecessor de uso irregular de valores da agremiação, Rocha garantiu ao Dossiers & Factos que não irá intentar nenhuma acção judicial, devido ao respeito que tem pela figura de António Marques e pelo trabalho abnegado que este levou a cabo durante 25 anos lutando para o engrandecimento do desporto motorizado no país.

Rodrigo Rocha falava ao nosso Jornal, momentos depois de ter sido eleito presidente daquela agremiação pelos próximos quatro anos, num pleito marcado por alguma polémica e que durou cerca de um ano e quatro meses para sua concretização.

O conceituado jurista foi eleito com um total de 142 votos, contra 109 do seu oponente, Ricco Alibai, que por sinal foi convidado a fazer parte do novo elenco do ATCM, que irá tomar posse dentro dos próximos dias.

Justificando essa postura, Rocha considerou que, independentemente do resultado, quem saiu vencedor são os sócios e pilotos do ATCM, por isso tomou a iniciativa de convidar Ricco para fazer parte do corpo técnico, pelo reconhecimento do seu trabalho abnegado para alavancar o desporto motorizado.

Melhorar o ambiente do desporto motorizado

O recém-eleito presidente do ATCM, Rodrigo Rocha, garantiu, porém, que o seu primeiro acto de governação vai ser buscar esforços para a união entre os sócios, de modo a que se melhore o ambiente do desporto motorizado em Moçambique.

Por outro lado, a nova direcção pretende aproximar-se dos atletas das diversas categorias do desporto motorizado, de modo a engrandecer a imagem do país no exterior. Igualmente, o ATCM pretende providenciar equipamentos aos pilotos, para tornar as corridas ou competições muito mais aprazíveis.

Rocha destacou ainda a necessidade de criação de regras para uma melhor racionalização dos recursos, com base num regimento da mesa da assembleia-geral, em que será apresentado um orçamento anual à assembleia-geral, para discussão e aprovação.

“O ATCM precisa de um corpo técnico credível, que seja capaz de organizar campeonatos de dimensão internacional, de modo a granjear maior simpatia desses países”, referiu Rocha, defendendo a massificação deste desporto. Para tal, pretende criar uma parceira com Eurico Gonçalves, do MotoCross Clube da Cidade da Beira.

“Urge a necessidade de se realizarem campeonatos fora da cidade de Maputo, de modo que os pilotos se sintam incluídos no desporto motorizado a todos os níveis”, concluiu, exortando aos meios de comunicação social para uma maior divulgação do desporto motorizado e acções do ATCM.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content