Apesar de desafios, Nyusi destaca avanços no país nos últimos dois anos

O Presidente da República, Filipe Nyusi, afirmou, esta quinta-feira, que, apesar dos desafios que opõem Moçambique, o país registou avanços significativos em diversos sectores, entre 2018 e 2020.

“No período em análise, registámos, no país, progressos encorajadores, sem descurar os desafios que atravessámos, como por exemplo, os ciclones Idai e Kenneth, que assolaram o nosso país num espaço de seis semanas entre si”, disse Nyusi, durante a cimeira virtual dos Chefes de Estado e do Governo do Mecanismo Africano de Revisão de Pares (MARP).

Nyusi explicou que “estes desastres naturais causaram mortes e destruição de infraestruturas e culturas agrícolas”, tendo salientado ainda que, pouco tempo depois da passagem das intempéries, Moçambique foi assolado “por chuvas e ventos fortes, descargas atmosféricas, inundações localizadas e o ciclone Chalane, em Dezembro de 2020, que provocaram, igualmente, mortes e destruição de infraestruturas económicas e sociais”.

Ainda assim, no domínio da democracia e governação política, o Chefe de Estado falou do novo modelo de governação descentralizada, que culminou com as eleições autárquicas de 2018 e as gerais de 2019. “A nota dominante foi a eleição, pela primeira vez, de governadores provinciais, reforçando, assim, o poder das populações locais de decidirem sobre os seus líderes e programas”, disse Nyusi.

Quanto à consolidação da paz, o Presidente da República citou o Acordo de Paz e Reconciliação Nacional, assinado em Agosto de 2019, e o consequente processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR) de elementos armados residuais da Renamo.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content