Banco de Socorro do HCM incapaz de responder à demanda

Diariamente, cerca de 500 pessoas procuram pelos serviços do banco de socorro do Hospital Central de Maputo, número que, de acordo com o próprio hospital, é bastante elevado, tendo em conta a capacidade de resposta. O facto agravou-se com a eclosão da Covid-19, que tem afectado o pessoal de saúde, desde médicos aos agentes de serviço.

Diante deste quadro, o banco de socorro tem se revelado incapaz de responder à demanda, havendo situações em que os utentes ficam longas horas à espera de atendimento, o que, segundo o hospital, gera “descontentamento e falsa percepção de mau atendimento”. A atiçar essa percepção está o facto de se dar prioridade aos doentes graves, e não necessariamente aos que chegam primeiro.

Assim, e através de um comunicado de imprensa enviado à nossa redacção, o HCM apela aos utentes cuja sintomatologia não seja grave a se dirigirem às unidades sanitárias periféricas, que garante estarem “capacitadas para atenderem estes casos”.

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content