Bolsa de Valores de Moçambique lança terceiro mercado de Bolsa

 

A Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) divulgou, na manhã da última quarta-feira (27), o terceiro mercado de Bolsa, uma iniciativa transformativa e de grande alcance estratégico no mercado bolsista. A iniciativa vai reposicionar a BVM como barómetro da economia.

Para além da divulgação do terceiro mercado de bolsa, a BVM procedeu igualmente o Lançamento das “Premiações BVM” direccionado para cinco categorias que são: melhor empresa emitente de valores mobiliários; melhor intermediário do mercado de valores mobiliários cotados; melhor instituição de custódia de valores mobiliários cotados; melhor artigo / trabalho científico sobre mercado de capitais, e; melhor artigo jornalístico sobre mercado de capitais.

O presidente da BVM, Salim Crípton Valá, disse que essas iniciativas estão inseridas no quadro da implementação do Plano Estratégico da Bolsa de Valores de Moçambique (2017-2021), cuja tónica dominante e dada a introdução de novos produtos e serviços de modo a dinamizar e galvanizar o mercado.

De acordo com Valá, a introdução deste segmento de mercado (o Terceiro) resultou da demanda concreta do sector privado, que foi antecedido por um estudo realizado entre 2018 e 2019. Está alinhado com as  boas práticas internacionais e tem enquadramento na regulamentação vigente, atinente ao assunto.

Segundo o PCA, se países com maior dinamismo e liquidez de mercado, como Alemanha, Bélgica, Japão, Suiça, Dinamarca, França, Espanha, China, Korea, Brasil, África do Sul, Maurícias, Egipto, Marrocos e Nigéria, abraçaram essa solução, porque Moçambique não pode também avançar com uma inovação que crie uma “lufada de ar fresco” no mercado de capitais?

“A BVM e os seu parceiros, como a CTA, IPEME, OCAM, ISCAM, IGEPE e AT, optaram por apostar neste mercado que, acreditamos, vai optimizar e capitalizar as energias, o talento e o esforço empreendedor dos empresários moçambicanos”, disse Salim Valá.

Falando sobre as premiações, o dirigente referiu que a BVM pretende também induzir a produção de conhecimento científico sobre o mercado de capitais e a Bolsa de Valores, que permita iluminar a acção dos distintos actores do mercado e a tomada de decisões com base em evidências.

“Move-nos, igualmente, o desejo de, através dos artigos escritos, elaborado por jornalistas moçambicanos e publicados em jornais e revistas, informar, educar e formar a opinião pública sobre assuntos relacionados com o mercado de capitais, mais especificamente no tocante a como obter financiamento alternativo, promover poupança, como fazer investimentos seguros e rentáveis, e como promover a boa governação corporativa e os negócios com ética”, enfatizou Valá.

Durante o evento, Salim Vala anunciou publicamente que a Arko Seguros S.A. é a 10a. empresa a cotar-se na Bolsa de Valores de Moçambique.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content