Cabo Delgado – Palma: Ataques abrandam e emboscadas continuam

Por volta das 16h00 horas de Maputo, a População do Distrito de Palma corria de um lado para o outro e de preferência, aglomeraram-se junto à zona da praia. Levavam consigo, por instinto, o essencial para mantimentos, em trouxas (comida pronto consumo, cobertores, panelas e dinheiro), sobretudo.

Horas depois, na vila Sede ouviram-se dois focos de tiroteios que duraram aproximadamente duas horas de tempo e sessou quando os atacantes se esconderam em casas desertas.

Os militares de Palma não se movimentaram para contra-atacar mas sim, um outro contingente militar, vindo de outros locais, foi urgentemente enviado à Palma e fez vários bloqueios ao longo do princípio da noite.

Estimam-se que haja uma média de 100 homens da rede dos insurgentes nos dois extremos e suspeita-se que tenham planos de fuga pelas matas de Phundanhar. Paralelamente a está acção, houve intervenção aérea por parte dos militares do Governo e contaram-se pelo menos 5 helicópteros que sobrevoaram, sem alvo na mira pois, a população se misturava com possíveis incendiários.

Às ruas aonde funcionam as filiais bancárias foram o epicentro de troca de primeiros tiros com o recurso a armas de fogo de artilharia terrestre e ainda é prematuro avaliar danos e perdas físicas quer por parte dos beligerantes quiça, por parte da própria população.

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content