CONSIDERADO O MAIS INTELIGENTE DE MOÇAMBIQUE: Beylen, menino superdotado, ganha bolsa de estudos

 

Os vídeos de Beylen, menino de três anos que sabe quase tudo, são uma verdadeira febre nas redes sociais. Prova disso, é que ele já não passa despercebido por onde anda e todos sempre querem testar a sua inteligência acima da média. Alguns  vídeos com mais de 500 visualizações, não nos deixem mentir.

Não só os curiosos ficaram encantados com a sua forma rápida e assertiva de responder as questões, sobretudo as de cultura-geral, as empresas também. E uma já se aproximou ao menino: a BDQ – Mobile.

Sensibilizada com a inteligência do rapaz, a BDQ – Mobile decidiu procurar pelo menino, o grande encanto do Bairro da Maxaquene e, esta terça-feira, o menino, juntamente com os pais, visitou a loja principal da empresa, onde durante uma hora foi exposto a um universo de tecnologia, com destaque para telemóveis e outros aparelhos, mesmo com a visão de projectar o seu futuro.

No entanto, não foi apenas uma manhã de passeio pela loja, mas um dia que o seu futuro foi traçado positivamente, ou seja, Belmiro Quive, Director-geral da BDQ – Mobile disponibilizou ao menino Beylen uma bolsa de estudos integral desde a sua iniciação primária até a sua formação.

Trata-se de um gesto que pretende completar toda a sua vida académica, a começar pelo ensino pré-escolar, logo, claro, que a situação do distanciamento social voltar à normalidade.

Quive diz que a BDQ não podia abster-se de ajudar o menino Beylen, dado o seu nível de conhecimento que, seguramente, precisa de ser acompanhado devidamente, de modo que esse talento não se perca.

Para Quive, noutro ângulo, este apoio enquadra-se nas actividades de responsabilidade social que a primeira empresa moçambicana no ramo das telecomunicações exerce, depois de patrocinar o torneio de futebol denominado Copa Mafalala, em Maputo, com brindes e prémios de jogo; o Campus da Universidade Eduardo Mondlane com bancos e a selecção moçambicana de futebol e a feminina de basquetebol. 

O pai de Beylen, quem acompanhou o filho à loja da BDQ, diz que se apercebeu da inteligência desmedida do menino em Setembro, quando notou que ele conseguia com facilidade reter tudo que assistia pela televisão, via ou ouvia.

“Nos primeiros dias fiquei preocupado e emocionado ao mesmo tempo. Até chamei o meu colega, na espectativa de que ele não conseguisse responder questões a uma pessoa estranha, mas, surpreendentemente, ele respondeu acertadamente”, conta.

O pai do menino, segundo conta, o primeiro vídeo nem foi publicado por ele. Aliás, ele diz ter se surpreendido com o vídeo na internet enquanto estava em Niassa.  Afirma ainda, que apesar de ser superdotado, o menino Beylen comporta-se como uma outra criança e ainda não se aproximou a especialistas para classificar exactamente esse fenómeno que o filho, embora recomendações para o efeito não faltem.

De nome Benildo Macala, o pai de Beylen, agradece bastante pelo apoio da BDQ – Mobile, e acredita que vai ajudar muito na educação do seu primogénito e aliviar em grande medida a família, que carece de condições.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content