DIA MUNDIAL DA SAÚDE: Homenageados em Maputo profissionais de saúde

 

Volvidos 12 meses desde a eclosão da pandemia do novo coronavírus no país, decorreu na manhã de quinta feira, (08/04) no Hospital Central de Maputo (HCM), uma cerimónia que serviu para homenagear os profissionais de saúde da linha da frente pela dedicação, coragem, sacrifício e disponibilidade na luta e combate a Covid-19.

Para a materialização deste acto, foram edificados três murais, um no Hospitais Central de Maputo, outro no Hospital Geral de Mavalane e o ultimo no Hospital Provincial da Matola, onde com recurso a tinta de óleo, foram pintados em forma de desenho em paredes, os rostos de alguns profissionais de saúde, em representação das mais diversas categorias.

É uma verdadeira obra de arte, idealizada e produzida por artistas nacionais, com auxílio de parceiros como o BCI, ZAP, MEDIMPORT, Águas da Namaacha, TMCEL, CTA, entre outros, que através da conjugação de esforços, contribuíram para o reconhecimento desta classe de profissionais que diariamente luta contra diversos males.

No seu discurso inaugural, o Secretário Permanente do Ministério da Saúde (MISAU) Zacarias Zindoga, fez referência aos desafios que estes profissionais de saúde vêm enfrentando, desde a eclosão da doença no país e, os sacrifícios por eles consentidos para a protecção da saúde da população, pondo em risco, as suas vidas.

“Mais do que lutar para cuidar e prover saúde aos utentes das nossas unidades sanitárias, como vinham fazendo, os profissionais de saúde foram expostos a uma realidade globalmente desconhecida, que continua a marcar a história severa da saúde pública dos últimos 100 anos à escala mundial, mas, mesmo diante dessas adversidades, nunca mediram esforços para salvar vidas, mesmo conscientes que tal, coloca em risco as suas vidas”, disse Zindoga.

Para o Secretário Permanente, a doença causada pelo novo coronavírus, ainda constitui um duro teste à honorabilidade, dever profissional, verticalidade e resiliência dos profissionais de saúde que fazem com que o Sistema Nacional de Saúde continue a responder ao desafio de conter a propagação desta doença.

Numa homenagem para aqueles que, não poucas vezes deram a própria vida para salvar a vida dos seus pacientes, o dirigente trouxe no seu discurso algumas estatísticas que espelham a dura realidade e o quadro sombrio a que estes profissionais se encontram sujeitos.

“Em todo o país, registamos, até ao momento, 3.270 profissionais de saúde das mais diversas especialidades que foram infectados pelo novo coronavírus. Destes, 440, correspondentes a 13.5%, são médicos de Clínica Geral e Especialistas e, 451, equivalentes a 13.8%, são técnicos afectos aos serviços de enfermagem”, lamentou.

E para terminar, Zacarias Zindoga curvou-se diante dos 21 profissionais de saúde que perderam a vida vítimas desta pandemia, para mais uma vez, prestar uma homenagem, “aos nossos colegas caídos em combate a este inimigo invisível, rendemos a nossa singela homenagem e reiteramos o compromisso de continuar com a sua causa de prestar assistência médica e sanitária aos moçambicanos”.

A homenagem aos profissionais de saúde, enquadra-se nas comemorações do dia mundial da saúde, celebrado no passado dia 7 de Abril assinalado, sob o lema: “Construindo um mundo justo e mais saudável”.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content