Dois barcos a motor garantem travessia sobre rio Montepuez

Imagens captadas pelo Jornal O Pais

 

O Ministro das Obras Públicas, João Osvaldo Machatine, que interrompeu as suas férias para viver de perto e procurar soluções para o sofrimento de centenas de famílias que ficaram isoladas devido a queda da ponte sobre o Rio Montepuez, havia garantido, na tarde de Ontem, que o governo já estava a mobilizar meios para garantir a travessia de uma margem para outra.

Texto: Redacção

Com efeito, desde a madrugada de hoje, duas embarcações do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades estão a operar para garantir a ligação entre as duas margens do rio Montepuez, assegurando, assim, a ligação com os oito distritos à norte de Cabo Delgado que ficaram isolados do resto da província durante mais de 48 horas.

De acordo com O País online, o INGC vai aumentar o número de barcos para flexibilizar o transporte de pessoas e carga. Aliás, a reportagem do jornalista Ricardo Machava descreve que a população que há dois dias dormia na estrada já começava a perder esperança. 

Nas primeiras horas, segundo a fonte que temos vindo a citar, houve uma pequena agitação, típica de pessoas que viveram uma experiência traumatizante e que, por isso, achavam o processo bastante lento.

As embarcações estão equipadas com coletes de salvamento e são comandadas por homens treinados, de diversas unidades como a Polícia Lacustre e os agentes do corpo de salvação pública. Cada embarcação a motor tem capacidade para 15 pessoas.

O País está sob alerta vermelha e a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos avisa que nos próximos dois dias as bacias hidrográficas dos rios Megaruma, Messalo e Montepuez, continuarão a registar volumes altos de escoamentos mantendo-se acima do alerta.

Em consequência disso, poderá estar condicionada a transitabilidade rodoviária entre Nairoto – Mirate e Macomia-Miudumbe, na bacia de Messalo; e Mecufi – Chiure, na bacia de Megaruma.

As bacias do Rovuma, Licungo e Revúbuè continuarão a registar aumento do volume de escoamento ao ponto de atingir o alerta, refere a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos, alertando para a necessidade de tomada de medidas de precaução evitando a travessia do leito dos rios. 

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content