PROMESSA DE  NYUSI JÁ ESTÁ EM MARCHA: MITESS e CTA lançam bases para promoção do emprego

 

Duas semanas depois da formação do novo governo, algumas promessas já estão a sair do dicurso para a acção. Com efeito, o Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), em coordenação com a Confederação das Associações Econômicas de Moçambique (CTA), lançou, na tarde desta Quinta-feira, as bases necessárias para a criação de postos de trabalho, capacitação e segurança social, uma das apostas do Presidente da República, Filipe Nyusi e seu executivo, para o presente mandato que acaba de iniciar.

Texto: Dossiers & Factos

Falando à imprensa, o Inspector Geral do Trabalho, Joaquim Siuta referiu que estão lançadas as bases para o trabalho que se segue, tendo em conta que para o presente mandato, o Ministério tem como grande grande desafio gerar mais e melhores postos de trabalho no país.

“A CTA é a instituição que se responsabiliza pela geração dos postos de trabalho em Moçambique, por isso estávamos reunidos com um sector bastante importante da nossa sociedade para a implementação daquilo que é o projecto de governação para este quinquênio”, disse.

Siuta garantiu que o MITESS vai trabalhar nas áreas de segurança social no trabalho e principalmente no domínio da formação profissional para preparar os moçambicanos, sobretudo jovens.

“Nós sabemos que temos desemprego, mas também temos um desemprego estruturado. Temos postos de trabalho que são oferecidos em Moçambique, mas por causa da falta de preparação profissional, muitos moçambicanos não tem como aceder aos mesmos, por isso há um grande desafio de continuarmos a capacitar os nossos concidadãos para que possam aproveitar o emprego que o país oferece”, destacou.

Por seu turno, Antonio de Sousa, vice-presidente da CTA para o pelouro da Política Laboral, disse que uma das maiores preocupações apresentadas no encontro pela CTA é a questão da inclusão, porque comparando o número de habitantes em idade activa para o emprego e o número de empregados há uma diferença significativa.

“Neste momento se nós falarmos em emprego formal, olhando para dados estatísticos publicados pelo próprio MITESS, temos cerca de 560 mil trabalhadores, mas em Moçambique a população activa em idade de emprego é de cerca de 14 milhões de habitantes. Portanto é importante que todas acções que se façam a nível da legislação sejam de inclusão, garantindo que todos os moçambicanos que hoje estão fora do emprego formal possam também o ter”, destacou.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content