Província de Inhambane: Golfinhos morreram por encalhamento

O Ministério da Terra e Ambiente, através da Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC) tornou público os resultados preliminares sobre a causa da morte de 111 golfinhos no Parque Nacional do Arquipélago de Bazaruto.

De acordo com a investigação feita por especialistas em mamíferos marinhos e de instituições nacionais dedicadas à preservação da fauna e flora, a morte dos golfinhos resultou do encalhamento (Beaching) durante a maré baixa. Na altura da ocorrência, não tinha havido quaisquer pesquisas sísmicas na região. A morte dos golfinhos ocorreu durante ou pouco depois da passagem do ciclone Guambe na área.

Na sequência da morte de 111 golfinhos, da espécie Stenella longirostris em dois incidentes separados, nos dias 21 e 23 de Fevereiro, no Parque Nacional do Arquipélago do Bazaruto, Henriques Bongece, Vice-Ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas, liderou uma missão intersectorial à província de Inhambane, aos distritos de Vilanculos e Inhassoro entre os dias 24 e 27 de Fevereiro de 2021.

Trata-se de uma equipa mista constituída por técnicos dos ministérios do Mar, Águas Interiores e Pescas (MIMAIP), Terra e Ambiente (MTA), Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Para além das observações realizadas “in loco” foram feitas várias consultas à rede de especialistas da região e internacionais nomeadamente, o Grupo de especialistas em Cetáceos da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN); da Comissão Internacional sobre baleias e do painel de especialistas em encalhamento para África e Oceano Indico; bem como com a Coordenação para assuntos de encalhamento do IndoCet para a região do Oceano Indico e com a editora associada da Revista Científica sobre Mamíferos Marinhos.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content