FDS APERTAM CERCO EM PEMBA: Detidos 13 paquistaneses com mais de 450kg de heroína

 

Em menos de um mês após as Forças de Defesa e Segurança terem impedido a entrada de uma embarcação com mais de uma tonelada de droga, que, de resto, acabou incendiada, foram detidos, esta segunda-feira, em Cabo Delgado, norte de Moçambique, 13 cidadãos de nacionalidade paquistanesa transportando mais de 450kg de heroína numa embarcação que navegava ao largo da baía de Pemba, em Cabo Delgado.

Segundo escreve o portal “Carta de Moçambique” citando uma fonte que esteve no terreno, a operação foi liderada por oficiais da Marinha de Guerra das Força Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC).

De acordo com a fonte que não está autorizada a falar, a embarcação ficou presa num banco de areia, acabando por ficar danificada no casco. Nela, viajam 13 cidadãos do Paquistão e, tal como na ocasião anterior em que abriram botijas de gás e combustível para destruir provas, o novo grupo também inutilizar a embarcação quando se apercebeu da aproximação das forças conjuntas envolvidas na operação.

Segundo a “Carta”, uma parte da embarcação fiou mesmo danificada, tendo metido àgua, mas não o suficiente para destruir as evidências. Os integrantes do grupo foram retirados da embarcação e detidos posteriormente.

Entre os detidos estão indivíduos com idades entre 30 aos 75 anos de idade, agora acusados de tráfico internacional de heroína, que usam a costa moçambicana como um corredor privilegiado. A droga estava distribuída em recipientes como tigelas e sacos de plástico.

Esta detenção ocorre uma semana depois da detenção de 12 iranianos que transportavam mais de 1500 kg de heroína, também ao largo da baia de Pemba. Recorde-se que, neste caso, os alegados traficantes conseguiram desfazer-se da embarcação, tipo Dhow, e da sua mercadoria, o que vai dificultar a incriminação dos suspeitos.

Uma fonte disse à “Carta” que o grupo dos 12 iranianos não está a colaborar, prevendo-se que, por isso, seu destino seja a expulsão do país. A fonte disse que após a verificação e comprovação, em laboratório, de que se tratava de heroína, os 13 serão encaminhados para o Estabelecimento Provincial Penitenciário de Máxima Segurança de Cabo Delgado.

Em Moçambique, os portos de Pemba, Nacala, Nampula, Angoche e Maputo, têm sido locais usados pelos narcotraficantes há vários anos. A Organização Iniciativa Global Contra o Crime Organizado estima que, entre 2016 e 2017, o tráfico via Moçambique terá movimentado mais de 300 milhões de USD, 100 milhões dos quais terão ficado no território nacional, redistribuídos entre diferentes grupos de políticos, o_ciais da justiça e redes do crime organizado.  (CARTA)

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content