Filipe Nyusi quer combater a corrupção em todos sectores

 

O candidato presidencial da Frelimo reuniu-se com acadêmicos de várias instituições de superiores de ensino na manha deste domingo. Numa conversa aberta com os presentes, Filipe Nyusi explicou que uma boa governação da nação não significa não ter problemas, mas sim aceitar para poder resolver. “O que não está bem agora pode estar melhor depois, só depende de nós”, disse Nyusi. Falou da corrupção e das dívidas ocultas que levaram o país a descredibilização por parte dos parceiros internacionais. Nyusi disse que é muito triste ver a decadência de um país que já foi isento e de confiança como Moçambique, contudo acredita que tudo será resolvido, porque os problemas aparecem e são resolvidos por todos.

Texto: Lídia Cossa

O candidato começou por falar da situação política e econômica do país, fazendo uma retrospectiva sobre como encontrou o país e como esta hoje. No encontro abordou temas relacionados com boa governação, reforma da justiça e corrupção.

Apontou a crise financeira e as dívidas ocultas que levaram o país a perda de credibilidade por parte dos parceiros internacionais e do esforço do seu governo em reconquistar a confiança dos mesmos. Falou também dos desastres naturais e do conflito militar, contudo, alegra se pelo facto de o seu governo ter conseguido manter o país com o pouco dinheiro que tinha, e diante de todas adversidades.

“Resolver problemas não é murmurar, reclamar da vida, os problemas sempre existem, e precisam ser resolvidos por nós, o que não esta bem agora pode estar melhor amanha, tudo depende de nós e do nosso esforço”, disse.

Para o próximo ciclo caso vença as eleições, quer combater a corrupção de forma cerrada, sublinhando que só será possível com a colaboração de todos sectores. Nyusi explicou que combater a corrupção não é simplesmente falar da sua existência, nem apontar culpados, e sim conjugar esforços para acabar com ela.

“Ficar a comentar que existe corrupção não resolve nada, se todos nós decidirmos acabar com a corrupção vamos acabar, porque esse trabalho deve começar pela raiz, a corrupção começa nas pessoas e não nas instituições, por isso, somos nós que devemos primeiro mudar a mentalidade e não fomentar a corrupção. Há quem pensa que agora há muitos corruptos, sempre houve, mas como não estavam a trabalhar nesse sentido, os números não apareciam, agora que estamos mergulhados no combate a corrupção, aparecem em todos os lados”, destacou.

Disse ainda que quer transformar o Conselho Constitucional em Tribunal, vai reformar os códigos civil, penal e administrativo bem como o estatuto dos magistrados com vista a melhorar as suas condições de trabalho e de remuneração. O objectivo é tornar a justiça célere, eficaz e eficiente.

A corrupção é para ser combatida. Nyusi disse que há entendimento de que os casos tendem a subir, mas tal deve-se aos esforços de combater o mal feito pela sua administração. Compromete-se a continuar a combatê-la vigorosa. E desafiou e sociedade a também empenhar-se no mesmo sentido porque onde há corrupto há também corruptor.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content