Fragilidades nas fronteiras permite entrada de armas para alimentar terrorismo

 

Jaime Neto falando recentemente na cimeira extraordinária da União Africana (UA) defendeu que questões sobre a paz merecem intervenção imediata e entende que há fragilidades nas fronteiras do país, facto que permite a entrada de armas ilegais usadas por terroristas em Cabo Delgado.

Jaime Neto falava durante a cimeira virtual extraordinária da União Africana e trouxe ao debate o tema do terrorismo, tendo afirmado que a porosidade das fronteiras nacionais facilita o tráfico de armas ligeiras que são usadas por grupos criminosos, terroristas e extremistas para perpetrar actos de violência, causando destruição, morte e dor nas comunidades, impedindo as populações de se beneficiar dos dividendos da paz na forma de emprego, educação, saúde, segurança e uma subsistência condigna.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content