Frelimo e Renamo gazetam debate com juventude

 

O parlamento juvenil movimento de advocacia em prol dos direitos e prioridades da Juventude promoveu na manhã de hoje um debate com partidos políticos concorrentes as eleições gerais de 2019. Sob o lema “ Por que votar em nos”, com o objectivo de perceber a agenda que cada partido tem para a juventude para os próximos cinco anos.

 Texto: Hélio Towo

Está difícil compreender a essência dos manifestos eleitorais dos partidos políticos que pedem voto para governar Moçambique, após as eleições gerais de 15 de outubro deste ano.

A constatação é dos jovens que estiveram frente a frente com alguns partidos no debate promovido pelo PJ para discutir os manifestos dos partidos há um dia do fim da campanha.

Os partidos foram colocados contra a parede. Os jovens que la estiveram reclamaram o facto de os partidos em campanha, não mostrarem soluções e simplesmente apontarem os problemas. A juventude exige dos partidos políticos mais clareza nos manifestos, sobretudo para esta camada social.

Tal como explicaram, os manifestos não devem ser de problemas, porque os problemas são do conhecimento de todos. Os partidos políticos, não trazem o que eles pretendem fazer, simplesmente ficam a fazer levantamento dos problemas que retardam o desenvolvimento. A juventude exige mais dos partidos políticos, que elaborem manifestos com base em soluções, e não em reclamações sem fim a vista.

A Frelimo e a Renamo gazetaram o debate. Estiveram presentes os partidos MDM, ND, AMUSI e PODEMOS.

Dulcídio Matimbe, representante do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), disse que o seu partido compromete-se a criar mais empreendimentos para empregar a juventude.

Falou das infra – estruturas que não estão em boas condições, prometendo abraçar a causa e na primeira oportunidade o seu partido irá melhorar todas as vias de acesso em estado degradado.

Explicou que o seu partido vai apostar no desenvolvimento e equilíbrio social, investindo na educação da mulher, “investir na educação da mulher é desenvolver a sociedade e o país”.

Já o partido Nova Democracia (ND), representado por Danilson Ailson disse que no seu manifesto, o jovem deve fiscalizar o Governo.

Danilson referiu-se aos problemas do país como originários da falta de emprego para os jovens.

O partido Acção do Movimento Unido para a Salvação Integral (AMUSI) esteve representado pelo Santos Miguel, defendeu que o seu partido tem como objectivo o desenvolvimento sustentável.

Falou da importância da educação para o desenvolvimento do país, onde apontou a necessidade de se criarem condições para a colocação dos docentes já em idade de reforma nas escolas secundarias para melhorar a qualidade do ensino no país.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content