GANGRENA: Um mal pouco conhecido que está a afectar cada vez mais moçambicanos

 

Gangrena é a morte de um tecido do corpo devido à insuficiência de irrigação sanguínea em uma determinada região ou à uma infecção bacteriana. A doença é mais comum nas extremidades do corpo, incluindo pés, dedos, braços e pernas, mas também pode ocorrer em músculos e órgãos internos. Esta é considerada grave.

Segundo Manuel Rodrigues Simão, Médico-cirurgião Geral, as gangrenas seca, húmida e gasosa são as mais comuns sendo que, a maior parte dos casos ocorre em doentes diabéticos ou após um severo trauma físico como um acidente de carro que resulte em perda de sangue suficiente deixando alguma parte do corpo sem irrigação sanguínea por vários minutos.

Também pode ocorrer como resultado de uma complicação de doença crónica, por queimaduras causadas por temperatura extrema, após uma cirurgia ou por infecção bacteriana, HIV, consumo de tabaco e bebidas alcoólicas e abrange todas as idades com maior incidência para os idosos.

Os indivíduos com alteração arterial crónica, são também um grupo alvo e podem desenvolver uma gangrena seca porque os tecidos ficam enegrecidos e vão perdendo a circulação ao longo do tempo até morrerem por completo uma vez que o sangue não chega nas extremidades por causa da obstrução do sistema arterial.

Simão explicou que existe ainda a gangrena arterial aguda, que resulta na maior parte das vezes de uma lesão arterial, trauma por acidente ou trombo, que é uma condição de coagulação do sangue, provocando paralisação da circulação sanguínea e consequente morte do tecido.

Questionado sobre os métodos de tratamento, Manuel Simão explicou que varia de acordo com a causa da morte dos tecidos, sendo a amputação o procedimento cirúrgico mais recomendado.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content