Golpe de Estado Mali: Líderes concordam com transição civil de 18 meses

 

Os líderes dos países da África Ocidental aceitaram uma transição política no Mali de 18 meses, descartando o de um ano, solicitada pela junta militar que assumiu o poder em Agosto, desde que presidente e primeiro-ministro sejam civis.

Além disso, entre as decisões acordadas em Acra, durante a cimeira extraordinária de dirigentes do bloco regional, que contou com a presença do chefe do Comité Nacional de Salvação do Povo (CNSP, militar) do Mali, o coronel Assimi Goita, há também a reivindicação, repetida em várias ocasiões, de que os dois chefes da transição sejam civis e que o CNSP “se dissolva imediatamente após instalado o período de transição”.

De referir que o golpe de 18 de Agosto surgiu após várias semanas de grande instabilidade no país, com protestos em massa e tumultos nas ruas liderados por multidões exigindo a renúncia de Ibrahim Boubacar Keita, no cargo desde 2013.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content