Graça Machel: “o coelho” que o PODEMOS poderá (…) sacar da cartola

Artigo/Análise: Raul M. Braga Pires

O PODEMOS-Moçambique, novo partido que resulta de uma cisão no seio da FRELIMO, deverá anunciar até à próxima 4ª-feira, dia 05, qual será o seu Candidato Presidencial para Outubro deste ano, o que me permite fazer o que mais gosto, a prospectiva.

Sendo um Partido que emana de uma quebra de confiança interna na FRELIMO, criando dois campos opostos, no qual o que se rebelou se reúne em torno de um líder renegado pelo Partido fundado pelo próprio pai, começa logo por dar um ar messiânico à vaga que a “Geração da Paz” começa a surfar. Samora Machel Júnior, deverá assim ser apresentado na 4ª-feira como um D. Sebastião, na Candidatura a Presidente da República. Digo-o com esta confiança, porque se o PODEMOS apresentar outro candidato, não percebeu o momento histórico que Moçambique atravessa, o qual poderá significar o fim do regime de um Partido-Estado, sem aspas, e a passagem do Multi-partidarismo à Democracia.

Por outro lado, Machel Junior tem gerido muito bem esta colagem ao AJUDEM e ao PODEMOS, entrando e saindo imaculado no nevoeiro do D. Sebastião, com os créditos de quem em 44 anos foi o único que ousou afrontar o Líder, o Partido-Estado, o Regime, na já longa tradição da família (o seu bisavô fora um guerreiro de Gungunhana). É este o peso que Machel Júnior carrega e não há outro Peso-Pesado no PODEMOS.

Mas Samito, como é popularmente conhecido, também é o porta-estandarte de uma geração. Melhor ainda, de uma geração dentro da FRELIMO, acomodada, que há muito poderia ter “borregado” nos esquemas, mas nunca o fez. Geração essa, a da FRELIMO, à qual também se pode perguntar o que é que fez em prol do país, do povo e o que é que não fez em proveito próprio? Não fui eu que os apelidou de “Empresários de Sucesso”!

Outro ponto fraco do D. Sebastião de 4ª-feira, é ser do Sul e não chegar ao eleitorado do Centro e Norte, apesar do nome e da família. Explicação telegráfica, é o Moçambique que temos, tribalizado!

Mas o PODEMOS e, sobretudo Samito, têm um “coelho” que poderão tirar, ou não da cartola, Graça Machel!

É mais certo que não aconteça, já que Graça teria que estar desvinculada da FRELIMO, o que não acontece. No entanto, o excitante para mim é projectar esse cenário: Graça Machel candidata e respectivas consequências, dois pontos!

É que África é matriarcal e há muito que anda a querer alinhar o equinócio com o relógio biológico. Uma Mamana como Graça Machel em campanha pelo país profundo, iria provocar um tsunami social comparável a um Ghandi ou Mandela. Digo-o desta forma porque compreendo a importância que isto teria para a Democracia em Moçambique. Da mesma forma que compreendo que o maior contributo que os corajosos do PODEMOS deram para a Democracia, foi fazer cair a pantalha do medo, foi levantar o precedente e fazer todos/as pensarem, “se ele/a fez, por que é que eu não hei-de poder fazer?!”. Importante dúvida/epifania, que serve para nos sentirmos menos cobardes ou mais corajosos, mesmo que não façamos nada.

Graça Machel certamente ganharia e certamente faria a diferença em Moçambique, em África, no Mundo. Não o digo por uma qualquer fé cega na senhora, mas porque ninguém presta atenção a Moçambique e seria certamente inspirador ver uma Cidadã do Mundo, de Manjacaze, a que com mais presidentes casou, presidir um país que já figurou no topo da lista do Mais Pobre do Mundo. Pensem só na memória, na vergonha que esta mulher deve ter/sentir desses tempos e dos bravos dias do Rovuma ao Maputo, ainda sem estar ao lado e intima de Samora Machel, todo o lastro de experiência em camadas sobre o que deveria ter sido feito e, de repente, nasce-nos um neto! Seria este o refresh ideal para a mudança de regime em Moçambique.

Mas não será com Graça também por outra razão óbvia. A gestão da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade, obra sua que combate a pobreza, obriga a uma certa exclusividade, porque os financiamentos internacionais fluem melhor quando não há suspeitas de parcialidades, da mesma forma que é importante que o dinheiro pareça limpo e os diamantes não sejam de sangue. Aqui, pode-se dizer que Graça Machel é vitima do seu próprio sucesso da forma mais perversa, já que quanto menos der nas vistas, mais garante o seu futuro e o da sua obra. A decisão é racional.

Resta-me de forma racional também, vaticinar que Samora Machel Junior será apresentado no dia 05 de Junho, como o Candidato Presidencial do PODEMOS. Não concebo outra candidatura, porque o PODEMOS existe porque criou a vanguarda deste momento que é histórico. E, para se estar na vanguarda é preciso estar consciente!

Fonte: https://maghrebmachrek.wordpress.com/2019/06/04/artigo-graca-machel-o-coelho-que-o-podemos-nao-podera-sacar-da-cartola/

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content