Heineken Moçambique apoia Gwaza Muthini e mantém viva a tradição

 

A Heineken Moçambique voltou a apoiar, pelo terceiro ano consecutivo, a realização da 125ª edição do Gwaza Muthini, em Marracuene, província de Maputo, um evento que celebra anualmente a bravura dos moçambicanos contra a ocupação colonial, assinalado no passado dia 02 de Fevereiro.

Numa festa onde juntaram-se milhares de residentes de Marracuene e foliões idos de vários cantos da cidade e província de Maputo, a Heineken contribuiu para a alegria dos participantes com géneros alimentícios, nomeadamente arroz, carne bovina, bebidas não alcoólicas e alcoólicas, entre as quais a cerveja“txilar”, produzida em Bobole, Marracuene, onde a cervejeira está implantada.

Os bens, adquiridos consoante as necessidades apresentadas pela organização do evento, foram entregues pela directora de Assuntos Empresariais e Legais da Heineken Moçambique, Neyde Pires à representante da Comissão de Angariação de Apoios e Logística do Gwaza Muthini, Olinda Enoque.

A intervenção da Heineken enquadra-se na estratégia de apoio às iniciativas desenvolvidas na área onde a empresa está instalada, estendendo-se a outras áreas de responsabilidade social como o desporto e água e saneamento.

Ainda no evento, a Heineken Moçambique deu luz e cor ao entretenimento, emprestando, inclusive, nome a um dos dois palcos que acolheram momentos culturais, com a música a destacar-se entre as principais manifestações artísticas.

Gwaza Muthini é uma cerimónia que evoca a resistência anticolonial que resultou na célebre batalha de Marracuene, a 02 de Fevereiro de 1895, a qual opôs os guerreiros do Império de Gaza comandados por Gungunhana ao exército colonial português.

A festa é celebrada a 02 de Fevereiro de cada ano e a edição de 2020 foi realizada sob o lema “125 anos de Gwaza Muthini, Exaltando a nossa identidade”.

Estima-se que este ano, participaram daquele evento cerca de de 50 mil ou mais pessoas não só de Marracuene, como também idas de vários cantos da cidade e província de Maputo.

O evento que começou logo pela manhã com a realização das cerimónia centrais que tiveram lugar no Monumento do Distrito, cujo momento mais alto foi o Kupalha (cerimónia tradicional), deposição de flores e os discursos de praxe na presença do Governador da Província, Júlio Parruque.

Na ocasião, houve também a premiação dos jogos de futebol e Ntuva, onde o prémio maior foi um cheque no valor de 200 mil meticais referente a Liga Marracuene.

Formalidades a parte, o dia foi mesmo para fara, com muito canhú, cerveja e a muita música, para além de pratos típicos de Marracuene. Aliás, o prato forte do dia foi mesmo o intretenimento, e não era para menos. O distrito havia se preparado a rigor para a maior festa da cultura moçambicana.

Com dois palcos de música em simultâneo, um no monumento Gwaza Muthini e outro no jardim da vila, desfilaram mais de 70 artistas, com destaque para Xidimiguane, António Marcos, Mr Bow, Nuno Abdul, Zicco, Stuwart, Marlen, entre outros.

E porque Marracuene está na moda e o Administrador de Marracuene, Shafee Sidat havia prometido uma festa diferente de todas anteriores, milhares crianças foram surpreendidas com um parque infantil, com pula pula, baloiço e outros brinquedos fizeram a alegria da pequenada.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content