Inauguradas habitações para populações que viviam no Parque do Limpopo

 

O Presidente da República, Filipe Nyusi, inaugurou ontem um complexo habitacional para populações da localidade de Makhandezulo, no interior do Parque Nacional do Limpopo, na província de Gaza.

“Embarcamos neste processo de realojamento porque as comunidades que residem no parque vivem numa situação de insegurança permanente. Esta insegurança deriva da ocupação de áreas que são rotas emigratórias dos animais”, declarou Filipe Nyusi, durante a inauguração das infraestruturas, citado pela LUSA.

Tratam-se de 141 casas de um projecto de realojamento que começou em 2015 e que é financiado pela cooperação alemã, que disponibilizou 380 milhões de meticais (514 mil euros).

“Esta não é a primeira nem última fase deste projecto”, frisou o chefe de Estado, avançando que, pelo menos, 1.200 famílias das comunidades que vivem em aldeias no interior do Parque Nacional de Limpopo já foram realojadas em novas áreas.

O projecto de realojamento das populações que vivem no interior do Parque Nacional do Limpopo está a ser discutido há mais de 10 anos no país.

O Parque Nacional do Limpopo, na província de Gaza, mantém uma continuidade territorial com o Parque Kruger, na África do Sul, que é uma das maiores concentrações de vida selvagem da África Austral.

Os dois parques têm sido vítimas de intensos ataques de caçadores furtivos, sobretudo dirigidos a elefantes e rinocerontes.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content