ISArC projecta obras de estudantes da Faculdade de Artes

No âmbito das comemorações dos 10 anos de sua existência, o Instituto Superior de Artes e Cultura (ISArC) lançou, na semana finda, a primeira edição de exposição dos trabalhos dos alunos do 2˚ e 3˚ ano dos cursos de Design e Artes Visuais, com o título “Esboçando Caminhos”. A mesma estará patente no Museu Galeria Chissano, na cidade da Matola, até dia 25 do mês em curso.

Texto: Lídia Cossa

A exposição é da iniciativa da Comissão de Exposições da Faculdade de Artes do ISArC, e reúne trabalhos produzidos durante o ano lectivo de 2018 nas disciplinas de oficinas do 2.˚ e 3.˚ anos dos cursos de Design e Artes Visuais. A mesma visava essencialmente mostrar aquilo que é o trabalho do ISArC e, em particular, dos estudantes daquela instituição.

Segundo Ana Karina Gonçalves, Directora da Faculdade de Artes do ISArC, a exposição reveste-se de importância para os estudantes expositores, pois é uma oportunidade de divulgarem o seu trabalho e verem a reacção do público, para além da satisfação pessoal de ver o seu trabalho reconhecido e que, talvez, possa abrir portas para o mundo profissional.

“O principal objectivo da exposição é estabelecer um elo entre os estudantes e o ambiente prático dos estudos, levando estes a interagirem com a realidade cultural exterior à faculdade e a participar na cena artística regional”, avançou.

O título escolhido, segundo a coordenadora da exposição, Sara Carneiro, tem a ver com a ideia de processo, ou seja, de que estas obras não são um produto acabado, mas sim um processo em que os estudantes se encontram, testam materiais, fazem exercícios e aprendem, o que significa que são eles próprios a esboçar os seus caminhos.

“É uma forma de valorizar o trabalho dos estudantes”

Segundo Luís Sozinho, um dos organizadores da exposição, que é também docente do ISArC, esta exposição serve para motivar os estudantes a se esforçarem mais nos estudos.

“O objectivo era expor trabalhos de todos os estudantes, mas depois se chegou ao consenso de que devíamos seleccionar os melhores trabalhos, isso também servirá de incentivo para outros estudantes se esforçarem mais, para nas próximas edições poderem também apresentar  as suas obras”, explicou.

“O tema foi bem escolhido, e significa construção do estudante, enquadra-se muito bem, uma vez que estamos ainda na primeira edição. “Esboçando Caminhos” é o mesmo que dizer preparando o caminho para o futuro”, sublinhou.

Para os estudantes expositores, aquela iniciativa é bem-vinda, pois, para eles, não existe satisfação maior que ver o público apreciando o seu trabalho.

Michel Oliveira, estudante do 3˚ ano do curso de Artes Visuais, olha para a exposição como sendo um factor motivacional e uma forma de estímulo ao processo de ensino e aprendizagem.

“Participo na exposição com muita satisfação, pois é uma forma de motivação, ver aqui pessoas a apreciarem uma obra feita por mim; é muito bom, gostei da iniciativa e que não termine por aqui, e que venham mais edições”, disse.

Dono de uma escultura com o título “Disfarce”, Oliveira explica que a obra se baseia em factos reais e que se trata de algo que aconteceu com ele. “As pessoas são fingidas, é por isso que a obra tem parte preta por dentro e clara por fora, ou seja, simboliza o que as pessoas são na vida real”, sustentou.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content