Jovem apoiante da Renamo atacado a catana por membros da Frelimo

  1.  

Um grupo de pessoas, supostamente pertencentes ao partido Frelimo atacou, na passada Quinta-feira, com recurso a catana, um jovem docente de história, de nome Aristides e sua família,  pelo facto de terem aderido à caravana de campanha da Renamo que esteve em Derre e Guerrissa, na última quinta-feira, liderada pelo cabeça-de-lista daquele partido,  Manuel de Araújo e pelo mandatário nacional, Venâncio Mondlane. 

Aristides Assuba Domingos da Conceição,  professor, de 30 anos de idade e sua esposa Raina Feliciano Leão , 19 anos , foram violentamente espancados na noite de Quinta feira, depois de terem recebido uma delegação  da Renamo. 

As vítimas que se encontravam na sua residência, foram surpreendidas na calada da noite, por dois indivíduos que depois de invadir a sua casa, golpeou-os com recurso a catana. O casal conseguiu identificar um dos agressores de nome Betinho, já a contas com a polícia . 

Aristides e a esposa sofreram contusões  graves na cabeça  e nos membros superiores e inferiores, tendo sido de imediato socorridos para o hospital local, mas dada a gravidade, foram depois transferidos para o Hospital Central de Quelimane, na passada sexta-feira. 

Contactado pela nossa reportagem o Mandatário Nacional da Renamo,  Venâncio Mondlane confirmou o sucedido e disse  que depois da “declaração de guerra” feita pela presidente do INE, indicando que a disparidade entre os resultados larga e profundamente polémicos do recenseamento eleitoral e os do Relatório do Censo da População e Habitação do INE, seriam “esclarecidos” em Dezembro, eis que o partido Frelimo parte das palavras à acção e rasga o Acordo de Paz definitiva de 06 de Agosto último. 

“Em Guerrissa, localidade do distrito de Derre, província da Zambézia, membros do Partido Frelimo, munidos de catanas invadiram, na calada da noite, a residência de um docente de História que apoiou a comitiva da Renamo durante a campanha”,  acusou Mondlane. 

De acordo com Mondlane, não foi só na Zambézia onde registaram-se actos de violência contra seus membros. Aconteceu também em Tete, onde no distrito de Chifunde, indivíduos supostamente da Frelimo montaram uma barricada para que a comitiva do cabeça-de-lista da Renamo, Ricardo Tomás, não pudesse passar. Em seguida apedrejaram toda comitiva da Renamo tendo ferido o delegado na cara. 

“Em Zumbo atacaram o delegado da Renamo tendo desmaiado e ficado com uma costela partida. Esses Senhores fazem isso com todos. O Refila Boy do Partido Nova Democracia mandou-me vídeos que demonstram a Frelimo a lhes impedir de fazer campanha. Em Chókwè chegaram a ameaçar  mandar embora as vendedeiras do mercado por terem estado na campanha do Refila Boy. Violência está no ADN da Frelimo, é identidade básica desse grupo”,  atirou. 

O caso de Guerrissa já foi submetido a esquadra local e foi aberto um processo em Guerrissa que posteriormente veio a ser transferido para Morrumbala.  “Neste momento o SERNIC de Morrumbala está a tratar do assunto do espancamento,  estamos a espera do desfecho do processo”,  terminou.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content