Líder da facção armada eleito novo presidente da Renamo

 

Mariano Nhongo, líder da autoproclamada Junta Militar da Renamo (JMR), foi ontem eleito por unanimidade presidente desta formação política, cujo a votação decorreu no último dia da conferência nacional extraordinária da facção que teve início sábado passado em Piro, nas cercanias da serra da Gorongosa, província de Sofala.

O escrutínio, liderado pela JMR em que os votantes, cerca de 200 guerrilheiros, uns armados e outros à paisana, incluindo mulheres, idos de todos os cantos do país, foram organizados na sequência da destituição pelo grupo, do actual presidente da Renamo, Ossufo Momade, cujas medidas incluem a nulidade de todos os acordos que o sucessor de Afonso Dhlakama, eleito no 6º congresso havido em Janeiro deste ano, assinou com o Governo.

João Machava, presidente da mesa da conferência extraordinária da JMR, que na abertura do evento desempenhou o papel de porta-voz, referiu ao ler a acta que o grupo orientou Mariano Nhongo a cumprir sete medidas delineadas pela junta, nomeadamente a movimentação de todos os efectivos para lugares seguros em virtude de o actual presidente do partido, Ossufo Momade, que o consideram de traidor, ter entregado as coordenadas das bases ao inimigo, o respeito total das tréguas por parte do Governo, bem como a necessidade de instruir a bancada do partido a votar contra a lei que procura impor o acordo de 6 de Agosto, que segundo a JMR, nunca foi visto nem autorizado pelo Conselho Nacional da “Perdiz”.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content