Mineradores artesanais invadem área de exploração da Vale

Mineradores artesanais em Tete invadem áreas da Vale Moçambique e das minas de Rovubue para a exploração do carvão em bruto. O ministério dos recursos minerais e energia já tem o conhecimento da invasão e apela os garimpeiros para retirarem-se das áreas concessionadas às duas multinacionais e a abandonarem a actividade para evitar conflitos de interesse e risco de vida.

Trata-se de alguns mineradores dos povoados de Benga e Mpandue, no distrito de Moatize, e do bairro Xingotsi, na cidade de Tete, que se dedicam à exploração do carvão mineral bruto.

Os mesmos exercem a actividade de garimpo ilegal nas áreas concessionadas às empresas de exploração de carvão mineral e minas de Rovubue. O inspector geral no Ministério dos Recursos Minerais e Energia, que despoletou a situação, disse que os operadores artesanais, além de correrem o risco de vida, podem criar situações de erosão progressiva.

Em conversa com aqueles mineradores de pequena escala, Obete Matine apelou para o abandono da actividade para evitar situações de conflito de interesse no futuro.

“Procurem outros biscates, procurem outra maneira de sobreviver, aquilo que coloca menos em risco as vossas vidas. Estamos a dizer: cuidado, quem avisa amigo é”, disse.

 Por seu turno, operadores artesanais dizem invadir as áreas reservadas aos mega projectos por falta de um emprego formal. “Não temos nada que fazer por em quanto para sobreviver”.

O mineradores artesanais chegam a abrir crateras com mais de 30 metros de profundidade, sem no entanto observar as mínimas condições de higiene e segurança.

 

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content