Moçambique e o mundo dão o último adeus ao herói Marcelino dos Santos

 

Vão, esta quarta-feira (19), a depositar numa das criptas da Praça dos Heróis, os restos mortais de Marcelino dos Santos, herói nacional e veterano da luta de libertação nacional, um homem cuja história confunde-se com a própria Frelimo.

O acto será precedido, a partir das 9:35 horas desta terça-feira (18), por um velório com honras do Estado. Em vida Marcelino dos Santos revelou-se um exímio nacionalista, por isso em 2015 foi declarado herói nacional pelo Presidente da República, Filipe Nyusi.

O cortejo fúnebre inicia dentro de instantes na morgue do Hospital Central de Maputo de onde os restos mortais de Marcelino dos Santos serão transportados até ao Salão Nobre do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, acompanhado por uma escolta da Polícia da República de Moçambique.

A urna chegará ao Conselho Municipal da Cidade de Maputo, transportada por membros das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e será posteriormente colocada em câmara ardente. A mesma será aberta pouco depois das 10 horas e só será encerada as 20 horas.

Amanhã, os restos mortais de Kalungano ou Lilinho Micaia, como também era conhecido no mundo das artes, serão depositados na cripta na Praça dos Heróis Nacionais, numa cerimónia com honras de Estado e que, para além de familiares, contará com a presença do Chefe do Estado, Filipe Nyusi, membros do governo, outros órgãos de soberania, delegações de países estrangeiros, entre outros.

Marcelino dos Santos morreu na passada terça-feira, em Maputo, por causas naturais aos 90 anos. Bravo markixista-leninista foi nacionalista até ao seu último suspiro, pois apesar da sua saúde debilitada, nos últimos anos, recusou-se a ir ao estrangeiro, onde, se calhar, poderia ter tido os melhores tratamentos médicos.

Para mais informações veja parte da sua história, feitos e decisões, na edição imprensa do Dossiers & Factos já nas bancas ou subscreva a versão DIGITAL.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content