MTA quer elevar contribuição do sector no PIB de 2% para 4%

 

Interpelámo-la durante as celebrações do Dia Mundial do Ambiente, e num dedo de conversa, a ministra da Terra e Ambiente (MTA), Iveth Maibaze, revelou alguns dos grandes planos que o sector que dirige tem na manga para o presente ciclo de governação, com destaque para o aumento da sua contribuição no PIB, de 2% para 4%, através do combate ao corte ilegal de madeira e à caça furtiva. Ainda neste quinquénio, o MTA espera implantar um sistema de informação florestal em todas as províncias do nosso país, para a melhoria da conservação dos recursos florestais, e ainda neste ano, vai iniciar o processo de auscultação para a revisão da Política Nacional de Terras. Nas entrelinhas, a governante celebra o reforço da fiscalização, com a intervenção das Forças de Defesa e Segurança (FDS), nas áreas de conservação, por iniciativa do Presidente da República, Filipe Nyusi, acto que está a resultar na redução, na ordem dos 25%, dos crimes contra a biodiversidade,  e pelo segundo ano consecutivo, nenhum elefante foi abatido na Reserva Especial do Niassa, o que quadruplicou os rendimentos para as comunidades que vivem ao redor das áreas de conservação.

Texto: Serôdio Towo

Dossiers & Factos (D&F) – Celebrou-se a 05 de Junho último o Dia Mundial do Ambiente, numa altura em que as nações enfrentam grandes desafios ambientais. Que visão e acções prevê para a instituição que dirige?

Iveth Maibaze (IM): O Ministério da Terra e Ambiente é um órgão central do aparelho do Estado, criado no presente ciclo governativo, a partir da extinção do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural, e tem mandato para a Administração e Gestão de Terras, Geomática, Florestas e Fauna Bravia, Ambiente, Mudanças Climáticas e Conservação.

Pretende-se, com esta estrutura organizacional, estabelecida para este ministério, contribuir para criar uma instituição que tem em vista estabelecer um ambiente saudável e resiliente às mudanças climáticas, assegurando maior qualidade de vida às populações, através da promoção e implementação de políticas e programas de desenvolvimento que garantam a qualidade ambiental e o uso sustentável dos recursos naturais. Essas são as áreas de actuação do ministério neste ciclo de governação.

Particularmente no que concerne ao Dia Mundial do Ambiente, esta é uma data que nós celebrámos todos os anos, e a cada 5 de Junho é estabelecido um lema pelas Nações Unidas, com vista a comemorar esta data, e, para 2020, o lema está ligado à biodiversidade, variedade e variabilidade da vida no planeta terra. Também se identifica anualmente um país que acolhe as cerimónias internacionais, e este ano o país escolhido foi Camboja, em função dos avanços que se têm verificado na conservação da biodiversidade naquele país. Moçambique, como signatário da Convenção da Biodiversidade, adoptou o lema “Conserve a Biodiversidade, Garanta a Vida no Planeta”. Nós adoptamos, anualmente, o lema em função das directrizes internacionais indicadas pelas Nações Unidas…

Leia a entrevista completa no nosso jornal  

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content