ONU diz que propaganda dos insurgentes combina imagens de Moçambique, RDC e Somália

 

O Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas diz que, desde os  nais de 2019, o ISCAP (Islamic State Central África Province, na sigla em inglês), ao qual se juntou o grupo Ansar Al Suuna, que actua no norte em Cabo Delgado, tem vindo a usar imagens de Moçambique, República Democrática do Congo (RDC) e Somália, “uma indicação de acções coordenadas ou tentativa de uni car os três teatros”.

A a rmação vem contida numa nota do CS, datada de 20 de Janeiro, concernente a uma reunião da mesa que lida com as questões do chamado Estado Islámico, Al Qaeda e grupos ou indivíduos associados. A nota refere que os Estados-Membros têm observado uma melhoria na qualidade e conteúdo dos materiais de propaganda dos insurgentes. Isso, avalia a nota, é indicador de que os grupos estão recebendo mais nanciamento e recursos. Um Estado-Membro, acrescenta a nota, reportou que as acções em Moçambique são planeadas e comandadas a partir da RDC.

O CS considera que ameaça do ISCAP continua a evoluir. O ISCAP é um ramo da Madina Tawheed wal Muwahedeen (MTM), que em Julho de mudou sua imagem, passando a usar um “logo” como o do Estado Islámico (ISIL). A nota refere ainda que o ISCAP é composto por 2000 recrutas locais e terroristas estrangeiros do Burundi, Chad, RDC, Eritreia, Etiopia, Kenia, Moçambique, Ruanda , Somália, Tanzania e Uganda. (Carta)

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content