Palma recebe 35 mil deslocados de Mocímboa da Praia

 

Texto de Serôdio Towo, em Palma

O distrito da Mocímboa da Praia tem sido o principal alvo de ataques de insurgentes. O facto leva a que a população abandone a zona, à procura de segurança. Perto de 35 mil pessoas oriundas daquela região encontraram abrigo em Palma, distrito que recentemente foi alvo de um ataque sangrento. A informação foi dada na terça-feira (22 de Setembro), pelo administrador de Palma, Agostinho Tauabo.

“Nós temos casos de deslocados mesmo ao nível do nosso distrito, que saíram de um ponto para o outro e o destino mais privilegiado é a sede do distrito. As comunidades acham que é um lugar mais ou menos seguro, mas também fomos surpreendidos por um movimento que não prevíamos, dos deslocados da Mocímboa da Praia que vieram ao distrito, estamos a falar de 34 880 pessoas que estão cá”.

São cerca de seis mil famílias, para as quais já há planos concretos. “O distrito identificou uma área onde vamos poder criar condições para estas pessoas se instalarem, onde há condições para a prática da agricultura e também tem condições para cada uma das famílias poder ter sua casa”, garantiu a fonte.

Num outro desenvolvimento, o governante reconheceu que, em termos de execução de programas de governação, “não conseguimos atingir 70%, como era o desejado”.

Em Palma, os alarmes soaram no dia 12 de Setembro, quando os insurgentes assassinaram 28 pessoas. Ainda assim, Tauabo assegura que “as instituições do governo estão a funcionar plenamente”.

 

 

 

 

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content