Parruque insurge-se contra estigmatização no sector privado

 

Há estigmatização dos trabalhadores que contraíram o novo coronavírus no Sector Privado a nível da Província de Maputo. A este propósito, o governador da Província, Júlio Parruque, foi categórico, “não será tolerada discriminação em razão da contaminação pelo novo coronavírus”.

“Não toleramos sinais de discriminação. Não admitimos estigma nesta pandemia”, atirou Parruque, reagindo a uma informação sobre a atitude de alguns empregadores, que condicionam o regresso dos seus colaboradores à actividade laboral com apresentação de um comprovativo de teste negativo de Covid-19, depois de cumprido o período de isolamento legalmente estipulado.

Visivelmente agastado com a situação, o governador da Província de Maputo orientou o sector da Indústria e Comércio a trabalhar com o Sector Privado para que se conforme com a norma sobre a matéria.

Aliás, Parruque observou que o desconhecimento ou a ignorância de informação sobre a Covid-19 no Sector Privado começa a ser preocupante.

O governante fez este pronunciamento, esta semana, durante a III Sessão Ordinária do Conselho Executivo Provincial, na qual foi apresentada pelo Director Provincial da Saúde, Daniel Chemane, informação actualizada sobre a situação da Covid-19, bem como o arranque, na segunda-feira, 08-03 da vacinação dos profissionais do sector.

Ao todo, são 4.995 profissionais de Saúde que serão abrangidos pela vacinação contra Covid-19, na Província de Maputo. Júlio Parruque apelou para que a administração da vacina seja acompanhada do reforço das medidas de prevenção.

Disse que os profissionais de Saúde tem um papel fundamental a desempenhar, para que a população aceite a vacina com esperança, tranquilidade e serenidade. Para o efeito, indicou o governante, é crucial que a população disponha de informação actualizada sobre o processo de vacinação.

Parruque afirmou que a marcha é longa e dura, mas o fim deve ser vitória sobre a Covid-19.

 

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content