Parruque satisfeito com o nível de implementação das medidas de prevenção da Covid-19

   Mas insta a população a sair de casa só quando for necessário

 

Durante uma visita de monitoria do nível de cumprimento das medidas de prevenção contra a Covid-19, no quadro do estado de emergência em vigor no país, o Governador da Província de Maputo, Júlio Parruque, mostrou-se satisfeito pelo facto de a população dos distritos da Matola e Boane estar a acatar as medidas anunciadas pelo Chefe do Estado, com destaque para o uso obrigatório de máscaras em locais públicos e lavagem constante das mãos. Contudo, mostrou-se preocupado pelo facto de ainda persistirem algumas pessoas que continuam a enveredar por comportamentos de risco.

Nas últimas semanas, o Governador da Província de Maputo, Júlio Parruque, tem vindo a encetar várias actividades para o reforço das medidas de prevenção da Covid-19 e monitorar o seu cumprimento, tendo já escalado parte dos oito distritos deste ponto do país.

Esta quarta-feira (06), o governante, depois de ter entregado um túnel de desinfecção no recém-criado mercado de Malhampsene, escalou o distrito de Boane e a zona da Matola Santos e Casa Branca, onde verificou o cumprimento das medidas de prevenção da Covid-19.

Parruque mostrou-se satisfeito pelo facto de muitas pessoas estarem a aderir ao uso de máscaras em espaços públicos e cumprirem com a recomendação de lavagem regular das mãos. Contudo, apelou para que as pessoas evitem saída desnecessárias. Aliás, nalguns casos, teve que descer do carro para mandar embora alguns vendedores de crédito que teimavam em manter-se na rua depois das 18 horas.

Na vila municipal de Boane, o governador encontrou várias pessoas ainda na paragem à espera de transporte, contudo, alegrou-se com o facto de quase todos terem máscaras.

“O Presidente da República disse para ficarmos em casa para evitar a propagação do Coronavírus, vamos colaborar ficando em casa”, disse Parruque, sensibilizando as pessoas a fazerem-se à rua simplesmente em caso de necessidade extrema.

Já no mercado Santos, na Cidade da Matola, as barracas estavam todas encerradas, e apesar de ter pessoas na rua, todas traziam máscaras. “Temos que cumprir com o decreto do estado de emergência, vamos ficar em casa. O trabalho é até as 17:30, é pela nossa saúde e de todo Moçambique”, reforçou.

Um dia antes, Júlio Parruque havia escalado o Distrito de Marracuene, onde exortou a população da Vila Sede e da localidade de Bobole a ficar em casa e só sair se realmente for necessário. Apelou, ainda, aos comerciantes a cumprirem o horário estabelecido para o fecho dos seus estabelecimentos.

Nos transportes Semi-colectivos de passageiros, Parruque conversou com os cobradores e motoristas sobre o cumprimento das medidas de prevenção contra a Covid-19.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content