Por incumprimento do prazo: Município manda demolir bancas provisórias no Mercado Museu

 

O Conselho Municipal de Maputo demoliu, esta sexta-feira, as bancas provisórias que estavam em construção nas imediações do Instituto Comercial de Maputo, para acolher os vendedores do mercado Museu, no âmbito de um projecto público-privado que tinha em vista transformar aquele espaço num mercado moderno, organizado e com infra-estruturas turísticas.

A edilidade justifica a medida com o incumprimento de prazos estabelecidos. A cargo de um consórcio privado, o concurso público para a construção daquela infra-estrutura foi lançado em 2016 e estava previsto que a mesma fosse executada num prazo de quatro meses, mas até hoje haviam sido executada a apenas 75 porcento.

No total mais de 130 bancas e algumas dezenas de bancas que era suposto acolherem, provisoriamente, os vendedores do Mercado Museu, para dar espaço a sua requalificação do mesmo.

Segundo a porta-voz do Municipio da Cidade de Maputo, Albertina Tivane, a Agência Royal, empresa que ganhou o projecto de requalificação, foi notificada, porém esta só dava justificações verbais.

“Notificamos a empresa do atraso que estava a registar, manifestamos o nosso desagrado por conta disso e fomos tendo promessas verbais da própria empresa e chegamos a um estado como município no ano de 2018 em que se comunicou que teríamos que demolir as obras”, disse Tivane.

Contudo, a Agência Royal considera injusta e precipitada a decisão do município de Maputo, justificando que a mesma não foi comunicada atempadamente.

“Não percebemos qual é o sinal que a actual direcção do Conselho Municipal pretende mandar para todos os pequenos investidores que estão a investir em parcerias. Isto é uma parceria, não é uma adjudicação directa, é um investimento privado. Então, sendo uma parceria,não percebemos qual é o sinal que se pretende dar a agir-se com esta precipitação. Nós não temos direito a resposta, não temos prazo para resposta. Até Novembro deste ano, estaria concluída esta obra”, lamentou. Redacção

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content