“Quando era miúdo escrevia o nome de Dominguez nas costas” – Witi

 

Dos pés de Dominguez saiu o centro rasteiro para Witi atirar para o segundo golo e igualar a partida diante do Cabo Verde. Mas o que muitos não sabiam é que entre os arquitectos do golo de empate dos Mambas, há uma história que lhes une já há muito tempo. Em entrevista ao Dossiers & Factos, o internacional moçambicano, Witiness Chimoio João Quembo, que é titular indiscutível do Nacional da Madeira, em Portugal, diz que viu sempre no capitão do Mambas, Dominguez, um profissional a ter como exemplo, tanto que, quando era criança escrevia o nome do “puto maravilha” na sua camisete.

Texto: Arão Nualane

Com o lugar já cativo nos Mambas e uma das principais referências actuais da selecção de todos nós, Witiness considera uma honra poder hoje dividir o balneário com aquele que foi seu ídolo da infância.

“Quando era miúdo escrevia o nome dele nas costas da minha camisete, assistia jogos da selecção nacional e dizia que um dia quero ser como Dominguez”, disse, para de seguida considerar que partilhar o balneários com Dominguez e ser ele o capitão da selecção nacional de futebol dá-lhe motivos de trabalhar mais, uma vez que o “puto maravilha” tem a sido a pessoa que incentiva a ele e outros mais novos na selecção.

“É um exemplo a seguir e tem nos ajudado muito, por aquilo que faz dentro do campo e pela experiência que tem”, elogiou Witiness.

Witiness disse também ao Dossiers & Factos que o capitão sabe que são miúdos e tenta sempre incutir neles a mensagem de que não podemos perder o foco dos seus objectivos, daí que apelida-o como “um grande capitão”.

Leia esta e outras revelações de Witiness, na edição imprensa do jornal Dossiers & Factos, nos próximos dias.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content