Raimundo Diomba e Abdul Razak a caminho da reforma

 

Numa altura em que continua no segredo dos Deuses a lista dos escolhidos para formarem o novo governo como Ministros e secretários de Estados, há já algumas certezas. Os governadores das províncias de Maputo e Zambézia, Raimundo Diomba e Abdul Razak, respectivamente, não farão parte do novo governo.

Segundo apurou o Dossiers & Factos, os dois governadores que já vem desempenhando funções ao mais alto nível no aparelho do Estado há muitos anos, estão a caminho da reforma, ou seja, não estão entre os elegíveis para o próximo mandato.

Ao que tudo indica terá sido por decisão dos dois governantes, já com uma idade avançada, como forma de dar espaço para novas ideias e sangue novo.

Entretanto, sabe o Dossiers & Factos que, Raimundo Diomba, tido como uma pessoa próxima e bastante ouvido pelo Chefe do Estado, Filipe Nyusi, irá assumir a tempo integral a sua posição de Secreatário para Área de Verificação no partido Frelimo, enquanto que Abdul Razak poderá voltar para a sua vida empresarial.

Refira-se que vive-se, nas últimas semanas, um ambiente agitado e de alto nervosismo no seio dos membros do partido Frelimo, devido ao facto de, faltando poucos dias para a formação do novo governo, ninguém saber “quem é quem” na máquina do executivo que Filipe Nyusi, reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, está a montar, diga-se, no segredo dos Deuses.

Tem sido prática, desde os tempos de Joaquim Chissano e Armando Guebuza, nas vérperas da formação de um novo governo haver consultas ao nível dos órgãos máximos do partido Frelimo e algumas figuras de proa, mas Filipe Nyusi, desta vez, não seguiu o ritual e o facto já está a enervar os camaradas.

Segundo apurou o Dossiers & Factos, de fontes reputadas dentro da Frelimo, nem mesmo a Comissão Política, órgão máximo do partido, foi consultado sobre os nomes que farão parte do novo governo.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content