Renamo lembra Matequenha em mensagem de fim do ano

 

Há sensivelmente três dias do fim de 2020 e início de 2021, o presidente da segunda maior força política nacional emitiu uma mensagem em que aborda vários aspectos que marcaram o ano, incluindo a recente notícia da morte de Sofrimento Matequenha, antigo delegado político provincial e deputado da Assembleia da República.

Matequenha caiu nas malhas dos raptores e, recentemente, foi encontrado morto nas matas de Gondola, na província de Manica. A perdiz imputa o crime a “inimigos da paz e da diversidade de pensamento” e considera que a “RENAMO e a República de Moçambique perdem um dos seus melhores filhos”.

Parte da sociedade considera que membros da polícia estão envolvidos na prática de raptos e o discurso de Ossufo Momade adensa esta percepção. “Ouvimos, de sua família, que Matequenha foi raptado por agentes da Polícia da República de Moçambique, que o arrastaram à força de sua casa para a viatura da polícia, que arrancou a alta velocidade para um local desconhecido”, lê-se no documento de 10 páginas, no qual se exige “um sério trabalho de investigação policial tendente a esclarecer este crime”.

Em sua mensagem de fim do ano, Momade também homenageia Máximo Dias, que perdeu a vida a 28 de Dezembro. Em vida, Máximo Dias foi político e advogado e, de acordo com a Renamo, “evidenciou-se no panorama político moçambicano contribuindo para o reforço das conquistas da independência e da democracia”

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content