Reserva Nacional de Niassa completa um ano sem registo de abate de elefantes

Graças aos esforços da ANAC no combate à caça furtiva

A Administração Nacional de Áreas de Conservação (ANAC) celebrou este Sábado oito anos de existência, numa altura em que as atenções da instituição estão viradas para melhoria da capacidade de gestão, combate à caça furtiva e auto sustentabilidade na gestão das áreas de conservação. Como corolário deste trabalho a caça furtiva tem vindo a reduzir consideravelmente, com destaque para a Reserva Nacional do Niassa, que completou, no mês em curso, um ano sem abate de elefantes por caçadores furtivos.

Este feito resulta também da implementação de outras estratégias como a partilha de benefícios económicos com as comunidades locais, formação dos recursos humanos e reabilitação das áreas de conservação com a construção e manutenção de infra-estruturas de gestão, incluindo a reintrodução de espécies emblemáticas para atracção turística e recuperação dos ecossistemas.  

As cerimónias centrais de celebração do oitavo aniversário da ANAC, tiveram lugar este sábado, no Distrito de Matutuíne, Província de Maputo, onde localizam-se duas importantes áreas de conservação, nomeadamente, Reserva Especial de Maputo e Reserva Marinha Parcial da Ponta do Ouro.  

Porque um dos maiores aliados é a educação, alunos da 8ª a 10ª classe de algumas escolas da Cidade de Maputo tiveram uma excursão até aquele ponto do país, onde juntaram-se aos alunos de algumas escolas locais. Juntos participaram numa palestra sobre a Conservação da Biodiversidade e efectuarem uma visita guiada na Reserva Especial de Maputo.

Ainda durante as celebrações que tinham como objectivo aumentar o nível de consciencialização da sociedade no geral e das comunidades que residem dentro e nos arredores das Áreas de Conservação sobre a importância da protecção da biodiversidade, foi organizada também uma légua na EN1, no troço Maputo – Ponta do Ouro.

A mesma tinha como objectivo sensibilizar automobilistas, naquele troço que atravessa a Reserva Especial de Maputo, sobre a necessidade dos motoristas respeitarem a obrigatoriedade de manter uma velocidade igual ou inferior a 50 quilómetros por hora, devido à presença de animais bravios e ao risco de acidentes a ela associados.  

Refira-se que a ANAC foi criada através do Decreto n.º 11/2011 de 25 de Maio, revisto  pelo Decreto n.º 8/2016 de 15 de Abril, que foi alterado pelo Decreto n.º  2/2018 de 31 de Janeiro, com o objetivo de administrar os Parques e Reservas, Coutadas Oficiais, Fazendas do Bravio e demais Áreas de Conservação legalmente criadas e colocadas sob a sua administração.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content