Resultados parciais: com STAE fechado em copas, aumenta suspeita de manipulação

 

Passadas mais de 24 horas após o encerramento das urnas, o Secretariado Técnico da AdministraÇao Eleitoral (STAE) continua sem fornecer os resultados parciais das eleições gerais, realizadas Ontem, terca-feira, em todo o pais.

O jornal Dossiers & Factos, que tem estado a acompanhar o processo, constatou o facto, esta quarta-feira, depois de se deslocar ao Centro de Imprensa do STAE, com intuito de recolher dados sobre o processo.

A única informação que nos foi dada é que não haviam programado nada para os orgaos de informação.

Este cenário, que já está a levantar suspeitas por parte de alguns eleitores habituados a ter as projeções logo na manhã do dia seguinte após a eleição, vem reforçar a entrevista dada pelo presidente da Comissão Nacional de Eleições, Abdul Carimo, ao jornal Canal de Moçambique e publicada está manhã.

Sem nenhum aviso prévio ou comunicação oficial, Abdul Carimo, refere na entrevista, que saiu às ruas no dia em que todos os moçambicanos esperavam anciosamente pelos primeiros resultados, que este ano os órgãos eleitorais não irão divulgar os resultados parciais, como forma de evitar criar desequilibrios e má interpretação dos dados.

Curiosamente, na sua exortação, dias antes da votação, terá apelado aos eleitores para votarem e ficarem em casa a espera das projeções.

Por norma, os Conselhos Distritais de Eleições tem até três dias para divulgarem os resultados. Com a contagem envolta a um secretismo, cresce o clima de desconfiança em relação aos resultados de um pleito no qual foram denunciadas tentativas de enchimento de urnas com boletins previamente assinalados a favor da FRELIMO.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content