Segundo Mulhovo: Partidos Políticos devem fazer parte da agenda da paz

 

O Director Executivo do IMD, Hermenegildo Mulhovo, sublinhou ser vital a inclusão dos partidos políticos nos processos de paz porquanto serem elemento chave para o desenvolvimento da democracia multipartidária em qualquer país, para além de que constituem o veículo importante para a promoção da inclusão e do diálogo.

 “Tomando em consideração que a maioria dos conflitos e ameaças à paz, registados ao longo dos 30 anos desde o estabelecimento da nossa democracia, tem uma origem maioritariamente ligada a divergências político-partidárias, por isso que não restam dúvidas de que o sucesso na paz e na reconciliação dependem da contribuição dos partidos políticos”, disse Mulhovo para quem os partidos políticos podem alimentar antagonismos, divisionismo e conflitos, mas também podem garantir a harmonia, inclusão e coexistência pacífica de diversos grupos sociais com interesse e visões diferentes por vezes conflituais.

Para Mulhovo se torna fundamental que ao calor da implementação dos acordos de paz recentemente assinados se aprofunde  a compreensão  e se explore o papel que os partidos políticos  desempenham na preservação da paz e reconciliação nacional.

Mulhovo falava na mesa redonda organizado pelo Instituto para a Democracia Multipartidária (IMD) e o Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos (MJACR), sobre o papel dos partidos políticos na promoção da Paz e Reconciliação em Moçambique.

O encontro, que contou com a participação de diversas personalidades nacionais e via plataformas digitais, dentre elas, deputados da Assembleia da República, representantes de partidos políticos, académicos, membros da sociedade civil, e cidadãos particulares.

Na ocasião, o Director Nacional para os Assuntos parlamentares no Ministério de Justiça, Assuntos Constitucionais e Religioso, Luís Cezirilo, sublinhou que a preservação da unidade nacional e da democracia, são premissas fundamentais para o bem-estar económico e social dos moçambicanos, o capital humano mais importante de uma nação.

A definição da pessoa humana como o elemento central da existência do Estado e dinamizadora do progresso, emana do reconhecimento natural da Constituição da República do direito primordial de todos os cidadãos tal como a vida, a integridade física e a moral.

O ciclo de debates sobre os 30 Anos desde a instituição da Democracia Multipartidária em Moçambique decorre sob o lema “Celebrando a Constituição Multipartidária e Construindo uma Democracia Inclusiva”. Com estas actividades que vão decorrer até ao final do mês de Novembro pretende-se celebrar os ganhos e desafios decorrentes da implementação dos 30 anos de Democracia Multipartidária em Moçambique, tirar lições, colher contribuições e subsídios para o seu fortalecimento.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content