Terrorismo em Cabo Delgado: Eurodeputados pedem apoio internacional para Moçambique

 

Reunido hoje em mais uma secção, o parlamento europeu discutiu a situação de guerra em Cabo Delgado, que coloca em causa o desenvolvimento do país e os direitos humanos. De Bruxelas, Bélgica, ecoam vozes de condenação à barbárie naquele ponto do país.

“É uma ofensiva claramente inspirada no jhadismo islâmico, no extremismo, com ligações já comprovadas ao DAESH”, descreveu o deputado do PSD, Paulo Rangel, antes de vincar que “este não é só um problema para os moçambicanos, que estão a sofrer e precisam de ajuda humanitária, é um problema regional, porque se está a espalhar o jhadismo islâmico pelos países a volta”.

Já Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, chamou atencão para os “abutres”, atraídos pelas reservas de gás na bacia do Rovuma. “A riqueza dos recursos naturais no país tem levado a que multinacionais compitam como abutres para ter acesso à região. É preciso denunciar e parar a exploração dos recursos naturais”.

Este debate acontece numa altura em que está em voga a questão dos direitos humanos em Moçambique, na sequência do assassinato macabro de uma mulher por um grupo de militares.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content