Total não confia nas autoridades moçambicanas, diz o Africa Intelligence

A petrolífera francesa Total decidiu suspender as actividades na Península de Afungi “por tempo indeterminado”, escreve esta quarta-feira, 14 de Abril, o “Africa Intelligence”. A decisão surge na sequência dos ataques protagonizados pelos terroristas na vila de Palma, a 24 de Março, um dia depois de a multinacional e o governo terem anunciado a retoma.

De acordo com aquela publicação, o Presidente do Conselho de Administração da Total, Patrick Pouyanné, não mais confia nas autoridades moçambicanas, “especialmente nas Forças de Defesa e Segurança e nos serviços de inteligência” para manter o projecto da Fábrica de Gás Liquefeito à salvo, daí ter decidido evacuar todos os trabalhadores que estavam no acampamento de Afungi, onde o “Africa Intelligence” diz terem ficado apenas os 700 soldados nacionais.

O órgão que temos vindo a citar acrescenta ainda que, a 10 de Abril, a Total ordenou a todos os seus trabalhadores que se encontravam na capital Pemba para que abandonassem a cidade, o que faz antever que, de facto, o retorno a Afungi poderá não acontecer tão já.

“Negligência” de Nyusi causa incompreensão

De acordo com “Africa Intelligence”, os investidores da área de hidrocarbonetos em Moçambique têm questionado aquilo que chamam de “negligência” do Presidente da República em relação a terra – Cabo Delgado –  onde nasceu e cresceu, a ponto de “colocar em causa um dos maiores projectos económicos na história recente de África”.

Após o ataque de Quitunda, no primeiro dia de 2021, Patrick Pouyanné encontrou-se com Filipe Nyusi em Maputo, tendo exigido novas garantias de segurança. O Chefe de Estado e Comandante-Chefe das FDS prometeu aumentar o efectivo a volta do projecto liderado pela Total e aumentar o perímetro de segurança até 25 Quilómetros.

Dias depois, o Comandante-Geral da Polícia da República de Moçambique, Bernardino Rafael, anunciava a criação do Teatro Operacional Especial de Afungi. Ainda assim, os terroristas ousaram assaltar Palma, que entretanto foi, dias depois, recuperada pelas tropas nacionais.

Mais  Destaques

Scroll to top
Skip to content