TRACK encerra pistas e “manda passear” utentes da portagem de Maputo

Em plena hora de ponta, quando o fluxo de viaturas atinge o pico, a Trans African Concessions (TRACK) toma a incompreensível decisão de reduzir a sua capacidade operacional na portagem de Maputo, encerrando a maioria das pistas no sentido Matola-Maputo. Conforme documentam as imagens, pelo menos cinco pistas estão encerradas e apenas quatro estão em funcionamento, sendo que a quarta é de hi-tech.

Alguns automobilistas estão há mais de uma hora na fila. Os nervos e o desespero tornam-se cada vez mais indisfarçáveis perante a atitude da TRACK, e o cenário pode propiciar a ocorrência de acidentes de viação, uma vez que todos os condutores tentam, ao mesmo tempo, passar pelas poucas pistas disponíveis. A situação não deixa de configurar uma autêntica falta de consideração pelos utentes por parte da concessionária sul-africana.

A TRACK, lembre-se, é a empresa que explora as portagens de Maputo e Moamba, sendo responsável pela manutenção da Estrada Nacional Número 4 (N4), que liga Maputo a Witbank (África do Sul).

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content