Tribunal pede a Zuma para escolher a própria pena

Num caso invulgar, a justiça sul-africana pediu o antigo presidente da África do Sul, Jacob Zuma, para escolher sentença “adequada” no caso de ser considerado culpado por alegado “desrespeito pelo tribunal”, notícia a agência Lusa.

De acordo com a Lusa, Jacob Zuma está a ser processado por “desrespeito pelo tribunal”, na sequência de se ter recusado a colaborar com a justiça, no âmbito da investigação de alegada corrupção durante o período em que esteve no poder.

“O antigo chefe de Estado, que completou 79 anos na segunda-feira, tem vindo a ignorar a comissão que investiga a corrupção generalizada durante o período em que esteve no poder, desde que foi criada, em 2018”, escreve o Público de Portugal.

A agência Lusa assinala que só por uma vez Zuma aceitou prestar declarações perante a justiça, tendo se sentido ofendido ao ser tratado como “acusado”. “Fui caluniado, acusado de ser o rei dos corruptos. Chamaram-me toda a espécie de nomes”, disse Jacob Zuma, após a primeira audiência.

Depois disso, o também antigo presidente do ANC não mais aceitou depor, sendo que, ainda de acordo com a Lusa, preferiu prestar declarações na imprensa.

Acusado de generalizar a corrupção na administração pública sul-africana, Zuma foi forçado a abandonar o poder em 2018, tendo sido substituído por Cyril Ramaphosa, que era seu vice-presidente.

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content