Vodacom recua da decisão de interromper interligação com Tmcel

A Vodacom Moçambique já não vai interromper interligação com a Tmcel, a partir do dia 17 do mês em curso, garantiu no final da tarde de última terça-feira (15), em Maputo, o Director-geral do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM), Tuaha Mote.

As declarações de Mote sucederam a reunião mediada pelo INCM, com vista a encontrar solução do problema da dívida de 600 milhões de Meticais que opunha a Vodacom da Tmcel.

“A conclusão da reunião é que, definitivamente, não haverá interrupção. Isto é, os serviços que fluíam entre as redes vão continuar. A discussão visava encontrar-se mecanismo de honrar os compromissos comerciais para que as duas operadoras continuem a ter uma relação saudável. A Tmcel comprometeu-se a honrar os compromissos. Mas continuaremos a trabalhar nos próximos dias para trazer uma solução definitiva à situação que opõe as duas operadoras”, afirmou Mote.

A segunda mensagem deixada pelo Director-geral do INCM é de que durante a reunião houve compreensão entre as partes. “A Tmcel compreende que a decisão da Vodacom não era de má-fé. Tinha legitimidade. Do lado da Vodacom também há compreensão de que houve razões de fundo por parte da Tmcel para não liquidar a dívida”, sublinhou o gestor.

Em declarações à imprensa, Mote esclareceu que o INCM, regulador das telecomunicações no país, apareceu na reunião como mediador, porque o assunto abordado entre a Vodacom e Tmcel é meramente comercial. “Todavia, o entendimento havido será sucedido por passos que levarão a uma solução definitiva e duradoura para que situações dessas não voltem a acontecer”, reafirmou.

Segundo a responsável pelas Relações Públicas na Vodacom, Paula Zandamela, a dívida da Tmcel remota desde 2018. Explicou que, em 2018, alguns pagamentos foram feitos, mas não na totalidade, mas a partir de meados de 2019 a Tmcel não tem estado a pagar a dívida que tem com a Vodacom.

“O pagamento da interligação é feito trimestralmente. Mas a Tmcel não estava a cumprir as várias propostas feitas para com a Vodacom. Mas hoje a empresa explicou as razões do não pagamento. Apresentou-nos uma proposta. Na próxima sexta-feira iremos analisar com a supervisão do regulador. Mas, neste momento, a situação está ultrapassada, conforme disse o Director-geral, até vermos se irá haver cumprimento desta nova proposta”, acrescentou Zandamela.

Da Chefe do Gabinete de Comunicação na Tmcel, Ana Bela Margarido, não foi possível apurar os motivos do não pagamento da dívida, mesmo com insistência. Todavia, sabe-se que a empresa, que resulta de uma recente fusão entre duas empresas falidas, nomeadamente Moçambique Celular (Mcel) e Telecomunicações de Moçambique (TDM), está num processo de reestruturação. (Evaristo Chilingue)

Mais  Destaques

error: Conteudo protegido!!
Scroll to top
Skip to content